VAI MEU POEMA

Poeta Antônio Belo da Silva

   Vai meu Poema

Vai meu poema,
Vais correr o mundo
Não importa se te digam
Que és um poema vagabundo...

Desces montanha,
Sobes serra
Pois somente o que se ganha
É o que a verdade encerra:
Se, como disse o poeta,
“Bom cabrito é o que mais berra!”

Vai meu poema,
Pois o tempo urge!
Se uma palavra acaba,
Outra, ali, ressurge...

Passas sobre as catedrais
Passas por baixo da ponte
Sobes rios, desces vales,
Vais anunciar um mundo novo
Mas nunca esqueças a “fonte”,
Que é a Língua do povo!

Vai meu poema!
Que nunca feneças
Ante à tirania
Ou à opressão
Pois se um dia,
Negares poesia,
Que nunca mais
Pises nesse chão!

Conheço teus sentimentos
Pela mão que te conduz
Eu vi o teu movimento
Indo ao encontro da luz!

Vai meu poema:
Voa!
Se não te derem asas,
Mesmo assim,
Teu grito ecoa!

                    Palmas, dezembro/2007

3 comentários:

Lusa Vilar Says:
23 de julho de 2012 22:35

Agradeço ao poeta Antônio Belo da Silva, meu amigo no facebook, a especial atenção de me enviar, por e-mail, vários dos seus brilhantes poemas. Esse é o primeiro deles, mas o "Afinando a Viola" terá a honra de publicar dentre em breve os outros que,não menos maravilhosos do que este, me foram enviados por ele. Obrigada, poeta, por me brindar com tão precioso presente. Um abraço fraterno, que Deus lhe dê cada vez mais a inspiração necessária para continuar a transformar em palavras essa linguagem da alma que recebeu como dom divino intransferível.

Inêz oLudé Says:
25 de julho de 2012 03:54

é meu mano grande poeta

Risomar Fasanaro Says:
25 de julho de 2012 18:19

Que beleza de poema! Pensei que tivesse sido escrito recentemente,Lusa, pois nosso poeta anda em uma fase bem produtiva.Excelente escolha! Se você entrar no meu Blog encontrará outros textos lindos e recentes dele, do Joaquim, irmão dele, e um trabalho de sua irmã Inez. Isso é que é família talentosa...Abraços

Postar um comentário